Ultima coluna – Microfones abertos.

cats

Salvador, 30 de setembro de 2013.

A vinte e três anos e onze meses nascia a versão brasileira da mais bem sucedida rede de televisão dedicada a musica. Carregando o peso do nome “Music Television Brazil” a MTV adentrou à TV brasileira com um turbilhão de novas ideias e de novos ideais. Adentrou com a liberdade que faltava ao jovem brasileiro que se via preso aos programas politicamente corretos da TV aberta, trazendo-lhes música, um playground nos tubos de imagem de seus televisores que passavam a partir daquele dia 20 de outubro a serem um pouco menos monótonos.

Com vinhetas coloridas, videoclipes e artistas jamais vistos antes, a MTV trouxe durante vinte e três anos e onze meses tudo o que outra emissora jamais teve coragem de trazer: diversão sem segundas intenções. Sem merchandisings e comerciais de 10 minutos, a MTV conquistou seu pequeno público fiel com o palavreado jovem, propriamente dito. Com vários programas de interesse do jovem, sim, a Music Television não era apenas Music. Com a chegada da internet novos programas passaram a ser veiculados no canal em que a logomarca sempre foi em cima (até nisso ela é diferente). Sexo, relacionamentos e humor além da música marcaram os últimos anos de MTV.

É certo que houveram graves erros, mas é mais certo ainda que houveram grandes acertos.

Mas por que acabar com uma história tão bonita, com tantos fãs? Por que acabar com uma emissora que mudou a televisão, serviu de espelho para outras e por tantos anos revelou estrelas para todo o país?

Mas por que banir uma emissora tão amada por seus fãs da TV Aberta?

A pergunta fica.

Nossos microfones estão abertos esperando uma resposta vinda da Abril Radiodifusão da Viacom ou de qualquer um que se responsabilize por esse fato.

Anúncios